Grande Zimbabwe elimina Mali e mantém África Austral em prova

O afastamento do Mali pelo Zimbabwe até cheira à vingança, uma vez que foi esta selecção que deixou pelo caminho os outros dois representantes da zona (África Austral), que acolhe a prova desde o dia 11 de Janeiro. Foi exactamente por ser a partir dos quartos-de-final único representante que apoio ao Grande Zimbabwe ficou evidente, com moçambicanos e sul-africanos a juntarem-se ao Zimbabwe que defrontará na próxima fase o vencedor do Líbia-Gabão.

Pela exibição da noite de sábado, a selecção do Zimbabwe pode ser considerada como uma aposta segura para chegar no mínimo à final da terceira edição do CHAN.

Zimbabwe coloca Mali em sentido

Os zimbabweanos foram mais rápidos para a bola, sendo eficazes nas oportunidades criadas e o principal é que estiveram completamente destemidos diante de um Mali que tinha causado estragos na zona ao afastar os “Bafana Bafana” e Moçambique, assim como logrou a vencer a Nigéria. Nas poucas ocasiões em que a defesa do Zimbabwe foi visitada, o guarda-redes George Chigova estava à altura da tarefa com grandes defesas.

Foram os guerreiros do Zimbabwe que impuseram uma pressão inicial, conquistando três pontapés de canto consecutivos. E acabaram mesmo por assumir a liderança na partida, aos 10 minutos, através de Simba Sithole, que aproveitou a hesitante defesa do Mali para rematar rasteiro, com o esférico a passar por Soumaila Diakite.
Mali, em seguida, procurou reagir criando algumas boas oportunidades, mas Zimbabwe sempre parecia perigoso em contra-ataques.
Peter Moyo trouxe o melhor de Diakite, e os guerreiros quase marcavam o segundo aos 23 minutos. No entanto, o guarda-redes do Mali, com defesa acrobática, evitou o golo.
Uma tentativa de pressão por Abdoulaye Sissoko foi bem travada por Zimbabwe.
O Mali pode lamentar-se duma oportunidade clara no golo, quando Lassana Diarra rematou e a bola passou bem perto da barra contrária.

Mali aumenta pressão

mas Zimbabwe é firme

Uma pressão incessante do Mali no início do segundo tempo mostrou a sua intenção clara de lutar pelo empate, mas a defesa sólida do Zimbabwe manteve-se firme.
Mas Mahachi ajudou a abrandar o ritmo do Mali colocando a questão da eliminatória fora de dúvida quando marcou o segundo golo zimbabweanos, aos 54 minutos.
Mambare poderia ter acabado com tudo no minuto 83, mas o Mali foi salvo por uma grande defesa de Diakite.
E foi mesmo o Mali a reduzir pelo recém-entradoHamidou Sinayoko de cabeça, aos 87 minutos. Mesmo assim, a vitória foi para o Zimbabwe, que desta forma honra a África Austral, que viu os restantes dois representantes (Moçambique e África do Sul) caírem na primeira fase.
Para esta partida foram utilizados os seguintes atletas:

Mali, 1: S.Diakite , S.Konate , I.Sidibe , O.Keita , A.Sissoko , C.Doumbia , L. Diarra ( H.Sinayoko ) , A.Traore ( I.Traore ) , I.Samake , Y Samake ( M.Sidebe ) , O.Kone
Zimbabwe, 2: G.Chigova , E. Chipeta , D.Phiri , H.Zvirekwi , K Mahachi , P.Moyo ( F.Chindungwe ) , A.Sadiki ( T.Muparati ) , M.Mambare , P. Jaure , S.sithole ( N.Maziwisa ) , M.Ncube.

Espectacular reviravolta

garante meias-FINAIS à Nigéria

A Nigéria conseguiu o que no final da primeira parte parecia perdido: o apuramento às meias-finais do CHAN. As “Super-águias” conseguiram sair duma situação de 0-3, diante do Marrocos, no final de 45 minutos, para 3-3 no final dos 90 minutos e já no prolongamento terminar a vencer por 4-3. Que grande reviravolta numa partida bastante espectacular e coroada de golos!

O jogo começou de forma frenética com um tiro de Mouhssine forçando Agbim a fazer uma boa defesa dentro do minuto de abertura. Mas a Nigéria respondeu depois, quando Ugonna Uzochukwu completou a cobrança de falta de Ejike Uzoenyi.
O Marrocos quase marcava aos 15 minutos através do impressionante El Ouadi, que atirou à baliza depois de um claroum-dois com um companheiro de equipa.
Na outra ponta, Ifeanyi Ede desperdiçou a hipótese de colocar a Nigéria à frente quando optou por um remate para as malhas laterais, quando tinha Uzoenyi melhor posicionado para marcar. Ambos os lados continuaram a procurar marcar, como Marrocos mais ameaçador, por isso não foi nenhuma surpresa quando assumiu a liderança através
Moutaouali, aos 33 minutos, quando rematou forte, com Agbim a limitar-se em recolher o esférico no fundo das malhas.

Mouhssine marcou o segundo golo da partida dando sequência a um livre de Esieme, aos 37 minutos. Os marroquinos ampliaram a sua vantagem três minutos depois, como Moutaouali a marcar o seu segundo golo do jogo após o disparo de fora da área, para dar aos representantes do norte de África uma vantagem confortável à saída para o intervalo.

Reacção nigeriana

e jogo electrizante

Aos 49 minutos e depois de um bom trabalho de Uzoenyi, Ugonna reduziu a desvantagem para 1-3.

O objectivo parecia acender as “Super-águias” para uma luta, com o seu jogo em geral a melhorar.
Rabiu Ali continuou a grande luta da Nigéria com um golo aos 56 minutos, quando atirou para o canto inferior após um remate de Barnabé Imenge, que entrara no lugar de momentos Salami anteriores.
E foi praticamente sob o minuto 90 que a Nigéria chegou ao empate por Uzoenyi, forçando o prolongamento. Abubakar Ibrahim marcou o golo da vitória nigeriana aos 111 minutos. Nigéria lutou e conseguiu segurar a vantagem até ao fim do jogo.

CHAN 2014 regista recorde de golos

A terceira edição do Campeonato Africano das Nações (CHAN), que decorre na África do Sul, registou um novo recorde de golos (59) marcados na fase de jogos de grupos.

Os golos foram marcados durante os 24 jogos que findaram, quarta-feira, contra 45 golos na mesma fase da competição durante a segunda edição de 2011, no Sudão.
Estes 59 golos totalizam mais do que os 55 marcados durante a segunda edição e representam uma média de 2,45 golos por jogo da primeira fase, superior à média de 1,87 golo em cada jogo em 2011.
No entanto, a Nigéria é a equipa que mais golos marcou na primeira fase, com um total de oito, enquanto o Zimbabwe tem o saldo mais negativo com apenas um golo.
Por seu lado, Moçambique registou o recorde de golos sofridos (nove), ao passo que o Zimbabwe não sofreu nenhum.

Jacob Zuma apoia

Gordon Igesund

O Presidente da África do Sul, Jacob Zuma, saiu em defesa do seleccionador nacional Gordon Igesund, que está sendo criticado depois do afastamento dos “Bafanas” dos quartos-de-final do CAN Interno.

Falando à emissora de rádio SAFM, Zuma disse: "Nós estamos cientes de que algumas pessoas estão criticando a forma como a selecção jogou contra a Nigéria. Alguns querem que a equipa técnica seja afastada. Ele tem melhorado muito e precisa de nosso apoio. "
O Presidente acha que Igesund é mais do que capaz em sua posição como o treinador da equipa nacional.
"O actual treinador sabe o que está fazendo", disse Zuma. "Ele tem mostrado grande trabalho. O facto de que a equipe ter perdido não significa nada. Aliás, as outras equipas perderam também."
Os comentários vêm após o ministro dos Desportos, Fikile Mbalula, ter atacado os “Bafana Bafana”, chamando-lhes de "um bando de perdedores" depois de sua derrota por 3-1 para a Nigéria.

Organização prevê

encerramento espectacular

O Comité Local de Organização do Campeonato Africano das Nações 2014 garante uma cerimónia de encerramento espectacular com intuito de deslumbrar os fãs de futebol e de música.
A organização reitera que todos os pormenores para garantir um encerramento à altura do evento que celebrou o talento e a identidade do futebol africano para o mundo para testemunhar.
O programa terá lugar no icónico Cape Town Stadium a partir das 15.00horas de sábado, 1 de Fevereiro de 2014, e contará com a presença de ícones da música e dança sul-africana.
Para encerrar oficialmente o CHAN 2014, foram escolhidos artistas de renome como Mafikizolo, Uhuru, Busiswa, DJ Zinhle e da Cidade do Cabo própria Reddy D e Chad Saaiman, que deixarão os fãs em reverência cantando os seus sucessos musicais, numa sensação africana que vai realmente celebrar a beleza e a importância de África.
Entretanto, Mvuzo Mbebe, membro da organização, exortou o público a fazer-se presente na cerimónia de encerramento, não obstante o afastamento prematuro dos anfitriões.

APONTAMENTO

Afinal quem informou Sidat

da suspensão dos árbitros?

O presidente da Federação Moçambicana de Futebol, FMF, Feizal Sidat, em declarações à Imprensa moçambicana que cobria a participação dos “Mambas” no CHAN, na Cidade do Cabo, equivocou-se ou se precipitou ao vir a público dizer que a CAF, que “tem sido implacável”, teria afastado os dois árbitros que cometeram erros durante as partidas em que Moçambique defrontou e perdeu contra a África do Sul e a Nigéria.

Confiámos cegamente nas declarações do presidente da FMF, que até estava mais perto dos decisores da CAF do que nós, e difundimos esta informação e está tudo gravado.

Voltamos a Maputo depois do jogo contra o Mali e no dia seguinte, terça-feira, as imagens televisivas mostraram-nos o Ghead Zaglot Grisha, árbitro da partida de abertura entre África do Sul e Moçambique, a apitar o Etiópia, 0- Gana, 1, a contar para a terceira jornada do Grupo C.

Ficámos sem perceber nada e os nossos botões não nos davam resposta. E como que a provar que Sidat se emocionou na tentativa de justificar o desempenho menos bom dos “Mambas” – nem precisava, todos vimos que fomos roubados - no sábado, Aboubacar Mario Bangoura, dirigiu o Mali, 1-Zimbabwe, 2.

E a pergunta que não quer calar, como diriam outros, é o que fez o presidente da FMF, dirigente da instituição que superintende o futebol nacional, falar sem ter visto nenhum documento oficial a suspender os árbitros?

Provavelmente confundiu palavras de consolo de alguns membros da CAF que viram alguns erros da arbitragem, mas daí dizer à Imprensa sem certeza foi um grande erro, senhor presidente!

Atanásio Zandamela

Quartos-de-final

Mali-Zimbabwe (1-2)

Marrocos-Nigéria (3-4)

Líbia-Gabão  1-1 (4-2)

Gana/Congo ()

Meias-finais ()

Quarta-feira (Free State Stadium)

17.00 horas: Zimbabwe-Libia/Gabão

20.30 horas: Gana/Congo-Nigéria

Sábado (Cape Town Stadium)

17.00horas: Jogo para atribuição do terceiro lugar

20.00horas: Final 

Adaptação de Atanásio Zandamela

Fotos da CAF