Semedo ainda não assinou pelo Desportivo

Semedo ainda não assinou pelo Desportivo

O Desportivo já avançou para mostrar o seu interesse em manter Artur Semedo para treinador na próxima temporada, em que os “alvi-negros” vão disputar o campeonato da cidade. A intenção passa por dar continuidade ao trabalho iniciado nos últimos meses do ano em curso, em que o técnico foi solicitado para salvar o Desportivo, facto que não chegou a acontecer.

Semedo dissera, anteriormente, que gostaria de participar na edificação do novo Desportivo mas, até ao momento, ainda não houve uma acção concreta, mormente em relação à apresentação da proposta da direcção “alvi-negra” ao técnico para que fique preto no branco.

Na breve conversa com o técnico, desafio ficou a saber que a indefinição podia ser ultrapassada ainda no decorrer da semana nesta semana. A nossa Reportagem também tomou conhecimento da existência de outras propostas que ainda não foram bem amadurecidas para a aquisição de Artur Semedo, tanto nacionais, como estrangeiras. A seu estilo, em jeito de fecho da conversa, Semedo disse: “Eu é que escolho para onde quero ir”.

Por seu turno, a direcção da HCB, defraudada com a classificação da sua equipa no Moçambola-2012, depois de um terceiro lugar na época anterior, não renovou com o técnico português Victor Urbano, e está no mercado à procura de um treinador, tendo abordado vários moçambicanos, entre eles Artur Semedo, Arnaldo Salvado e Akil Marcelino.

 

14 JOGADORES DO MAXAQUENE ESTÃO EM FINAL DE CONTRATO

No Maxaquene, a demissão de José Solomone Cossa da presidência do clube tem merecido atenção de todos os desportistas, situação que agudiza as dúvidas sobre a construção do plantel para a próxima época, tendo em conta a possibilidade da perda de catorze jogadores em final de contrato, nomeadamente Gabito, Betinho, Campira, Filipe, Macamito, Liberty, Eusébio, Genito, Marvin, James, Acácio, Vovote, Mfiki e Jair.

Uma das grandes certezas do Maxaquene-2013 é o capitão Macamito, que deverá jogar por mais um ano, depois de, em 2012, ter feito uma belíssima época, merecendo os elogios do seu treinador Arnaldo Salvado, que chegou a dizer que o seleccionador nacional devia esquecer a idade do jogador e chamá-lo para a selecção, considerando-o melhor trinco a evoluir em Moçambique.

Os principais jogadores disponíveis para a próxima temporada, por força do vínculo contratual, são os internacionais Kito e Hélder Pelembe, sendo que este reclama o não cumprimento de algumas cláusulas contratuais por parte dos da direcção “tricolor”.

Os outros jogadores que vão continuar a vestir a camisola tricolor são o guarda-redes Acácio, Campira, Kito, Betinho, Jair e provavelmente Gabito, defesa internacional com várias propostas.

Enquanto o Maxaquene arruma a casa, alguns jogadores estão à espera de poder reforçar os “tricolores”. Aliás, o sócio do Maxaquene, Imtiaz Amuji, tido como um dos principais obreiros da conquista do título de 2012, o que foi secundado por Arnaldo Salvado, disse à nossa Reportagem que tem assegurado compromissos com jogadores como Paíto, vice-campeão pelo Ferroviário da Beira, Ruben (Costa do Sol) e Fanuel (Ferroviário de Maputo), além de ter sido solicitado por vários jogadores cujos nomes não se dignou revelar, interessados em representar o Maxaquene.

Recorde-se que o técnico Arnaldo Salvado disse, em entrevista ao desafio, que só ficaria no Maxaquene se a espinha dorsal fosse mantida ou reforçada por alguns jogadores para determinados sectores.

 

ONZE CARAS NOVAS NOS MUÇULMANOS

Habitualmente, a Liga Muçulmana, em cada princípio de época, surpreende com contratação de jogadores considerados os melhores da praça e desta vez não vai ser diferente. Depois da propalada aquisição do defesa internacional Zainadine Júnior, produto nado no Desportivo, os “muçulmanos”, a pensar em altos voos não só nas provas intramuros, como também nas Afrotaças, como Sérgio Faife referiu na nossa edição anterior, já garantiram os préstimos do médio zimbabweano Liberty e do defesa Eusébio, embora o lateral esquerdo desminta tal transferência do Maxaquene para a Liga Muçulmana. Eusébio disse à nossa Reportagem que este é o momento de repousar e reflectir depois de uma época desgastante, acrescentando ainda que espera que o Maxaquene o contacte para a renovação e ajudar os tricolores a ter uma boa prestação.

A equipa de Litos, que não vai contar com o já referenciado Mayunda, reforço do Costa do Sol, o avançado Maurício, o médio Carlitos, capitão da equipa nas últimas temporadas, do guarda-redes Binó, provavelmente a ser emprestado ao Ferroviário da Beira, o estratega Nélson e Isac, com futuro incerto, Micas, em igual situação, assegurou o regresso do keeper malawiano Simplex, guarda-redes menos batido do Moçambola-2012, que vai discutir a titularidade com o brasileiro Caio e Nelinho, que contrariamente ao que se previa, por não ter sido utilizado após a saída de Artur Semedo, vai continuar na Liga.

Na equipa vencedora da Taça de Moçambique de 2012, assinala-se o regresso de Silvério, que foi campeão pelo Maxaquene, Reginaldo (ex-Costa do Sol) e Vling (ex-Ferroviário de Maputo), enquanto Imo, Rachide deixam o Ferroviário de Maputo para reforçar a Liga Muçulmana, juntamente com o médio-ala Nando, que representava o Desportivo.

As nossas fontes revelam que os“muçulmanos” estão a estudar a possibilidade de negociar os jogadores Maurício, Jacinto, Nélson ainda vinculados ao clube, mas que não se encaixam na filosofia de trabalho de Litos.

 

COSTA DO SOL CONTRATOU TONY, MAYUNDA E PAULO

O avançado internacional Tony, que vinha representando o Maxaquene nos últimos anos, depois de se transferir do Ferroviário da Beira, vai jogar pelo Costa do Sol nas próximas temporadas, equipa que pode ter mais uma opção no ataque. É que o ataque dos “canarinhos” requer mais arte, pelo que já se asseguraram os préstimos do esquerdino Paulo Boto, que vinha jogando pelo Chingale de Tete e que no início deste ano esteve perto de se transferir para a HCB.

Os “canarinhos”, que pretendem ter uma equipa fortíssima para discutir o título, vão poder contar, igualmente, com o lateral esquerdo Mayunda, que deixou de fazer parte da Liga Muçulmana, equipa com a qual conquistou dois campeonatos. Mayunda, que foi muito pouco utilizado este ano, após a contratação de Miro, vai ter a oposição de Dito, que já mereceu uma chamada para a selecção nacional, estreando-se no jogo em que Moçambique venceu as Seychelles por quatro bolas sem resposta.

Ao que tudo indica, para poder encontrar os melhores caminhos para alcançar os seus objectivos em todas as competições que vai disputar, depois de ter ficado em terceiro lugar no Moçambola e finalista vencido da Taça de Moçambique, num jogo em que a Liga Muçulmana foi vencedora, o Costa do Sol, sob comando de Diamantino Miranda, não vai ficar por essas três contratações, sendo que Jacinto é um dos nomes referenciados para reforçar os “canarinhos”.

Recorde-se que no ano passado Jacinto jogou pelo Matchedje, tendo sido contratado pela Liga no início deste ano, mas cedido ao Maxaquene e acabando por jogar pelo Chibuto. Sabe-se também que o jogador é pretendido pelo Ferroviário de Maputo.

 

NO MATCHEDJE

Alex Alves quer Ussama Dondo, Juma e Jacinto

O técnico Alex Alves, que se encontra actualmente no Brasil em gozo de férias, depois de deixar o Ferroviário de Nampula e selar um contrato com o Matchedje, quer reforçar a equipa com Ussama (ex-Têxtil do Púnguè), Dondo, Juma (ex-Ferroviário da Beira) e Jacinto (ex-Chibuto).

Os “militares”, que ascenderam ao Moçambola do próximo ano, pretendem ter uma equipa que garanta a manutenção tranquila, com jogadores de qualidade, mas maioritariamente jovens, que se vão juntar aos já referenciados.

 

Desportivo de Nacala ainda sem treinador

O Desportivo de Nacala, recentemente promovido ao escalão máximo do futebol moçambicano, ainda não encontrou o técnico que o vai orientar no próximo Moçambola.

Segundo as nossas fontes, o vencedor da Poule da zona norte avançou para negociações com Jorge Cadete, ex-ponta-de-lança do Sporting Clube de Portugal e Sport Lisboa e Benfica. No entanto, o natural de Pemba não chegou a acordo com o Desportivo por uma questão de valores monetários, o mesmo acontecendo com Akil Marcelino.

Os nacalenses têm uma vasta lista de candidatos ao cargo, entre eles Abdul Omar, que nos últimos anos trabalhou no Vilankulo e Clube de Chibuto, e Miguel Chau, que já treinou o Matchedje, tendo sido também adjunto do holandês Mart Nooij na selecção nacional.

 

Telinho vai jogar na Naval 1.º de Maio

O médio ofensivo Telinho, autor do golo que ditou a vitória da Liga Muçulmana frente ao Costa do Sol, na final da Taça de Moçambique da presente edição, vai transferir-se para a Naval 1.º de Maio, equipa que milita na segunda Liga Portuguesa.

O jogador internacional moçambicano, formado na Liga Muçulmana, acaba de encontrar as portas abertas para abraçar o profissionalismo num clube secundário, podendo mostrar o seu talento e, quiçá, encontrar um clube mais cotado naquele país europeu.

Com a transferência de Telinho para Portugal, sobe para quatro o número de jogadores moçambicanos a evoluir naquele país, nomeadamente Mexer joga no Nacional da Madeira, Jerry, Osvaldo e Edson no Oeiras.

 

Texto de Joca Estêvão

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Fotos de Domingos Elias