Get Adobe Flash player

Os moçambicanos passaram o longo fim-de-semana do início de Abril em alta tensão. E não era para menos. As armas voltaram a troar com tons de guerra no país. Bula Bula conta aqui algumas

 coisas curiosas que se passaram nas matas de Muxungué, Chibabava, Sofala.

Alguns ex-guerrilheiros, em Muxungué, e membros do generalato renamista baseados em Maputo, são citados a dizer que os ataques da Renamo dos dias 4 e 6 de Abril corrente tinham sido minuciosamente gizados para ocorrer no dia 7 de Abril, Dia da Mulher Moçambicana. Vá lá o diabo saber o porquê da escolha desta data. A ideia era colocar numerosos grupos de homens armados ao longo do corredor da Estrada Nacional Número Um (EN1), do Rio Save até Inchope, que efectuariam ataques no aludido dia, num cenário que resultaria em centenas de mortes.

A dispersão pela Polícia dos homens da Renamo que estavam concentrados na sua sede em Muxungué terá feito com o plano fosse recozido. Aliás, sabe-se, que nesse dia 7 de Abril, uma senhora identificada como Sandra José Jorge Maxaieie, natural de Chibuto, teria sido raptada nas proximidades de Inchope, para fins inconfessáveis, pelos homens do “pai da democracia”, que até aqui ainda não apresentou a mãe. A senhora vinha na companhia de dois filhos menores e foi obrigado a percorrer mais de 20 quilómetros embrenhando-se naquelas matas. Ela teve que ser internada numa das unidades hospitalares da província de Sofala. Os homens do DHL foi largaram-na quando se aperceberam da movimentação das forças de defesa e segurança na região.

Comerciantes de Muxungué relatam que dois dias antes do ataque da Renamo ao posto policial local movimentavam-se pela vila dois supostos jornalistas, um dos quais de raça branca, andando em cavaqueira com ex-guerrilheiros renamistas, incluindo o falecido comandante Rasta Mazembe. Os aludidos escribas ter-se-iam metido a caminho do local supostamente a convite do líder da perdiz, com o alegado intuito de fazer a cobertura “dum grande acontecimento que teria lugar e que mudaria a vida do país”. Os supostos “homens da pena” foram vistos a oferecer dinheiro para compra de bebidas alcoólicas e outras coisas, incluindo “suruma”, aos ex-guerrilheiros.

Os comerciantes contam que nas hostes renamistas, na véspera do ataque, transmitia-se às pessoas a ideia de que “tudo o que viesse a acontecer era por culpa do Governo que não quer dialogar”. Foi daí que alguns daqueles, temendo algo pior, encerraram o comércio em Muxungué, na tarde do dia 3, e fugiram para bem longe da vila.

Na manhã do dia 4, depois do ataque da Renamo, o aludido jornalista de raça branca foi o primeiro a envolver-se na recolha de dados, opiniões e comentários sobre o acontecimento, procurando saber qual era o impacto desta investida naquela comunidade e afirmando que iria enviar as informações para vários canais de notícias do mundo. Foi visto a tirar as primeiras imagens aos mortos e feridos.

A grande lamentação é o facto de estes acontecimentos dos dias 4 e 6 de Abril corrente terem resultado em perda de cerca de uma dezena de moçambicanos que não mereciam morrer daquela forma.

Esta semana, o matutino “Notícias” noticiou que “a perdiz” mantém desde Janeiro último reféns dois cidadãos no seu “quartel” em Vanduzi, distrito de Gorongosa, não se sabendo porque motivo. Trata-se de Samuel Alberto Gujamo, de 27 anos, e Chico Manuel Filipe, de 34 anos. Jerónimo Malagueta, chefe nacional de informação da Renamo, é citado a dizer que aquilo “é assunto dos chefes”.

Estas são algumas das coisas curiosas das matas sob controlo renamistas. Cada um ajuíze à sua maneira!

Opinião

As Três Filhas

Esta é uma quase estória da guerra e da morte dos nossos dias. Do tempo dos nossos filhos, aqueles que nunca deveriam saber de sangue e de morte...esta é a estória das três guerras, filhas da morte.

CONTRASENSO

Em mais um teste à capacidade de cedência até aqui demonstrada pelo governo, a Renamo veio com mais exigências, que são mais contrasensos para ganhar tempo na sua relutância em desarmar.

MARIDO E MULHER E NÃO ESPOSO E ESPOSA, ASSIM É QUE SE FALA O PORTUGUÊS!

 Por hoje ser Domingo da Ressurreição de Jesus o Príncipe da Paz, evento mais digno de ser comemorado pelos Cristãos, e não só, (leia-se o 1Corintios 15), aproveito a ocasião para desejar a todos os homens e mulheres de Boa vontade, PAZ nos Lares. Como diria o Padre Brasileiro Zezinho:

Para que todos fiquemos a ganhar

Neste nosso país, sucedem situações que parecem cenas de um filme surrealista. E que se não tivessem honra de notícia impressa seriam difíceis de acreditar. Nas, acontecem e em Moçambique. Referindo-se a caso recente registado no distrito de Magude, o “Notícias” (edição da passada quarta-feira, página 5) titula que Agentes da FIR comandam assaltos.

A perícia organizativa de Nyusi

Os líderes estabelecem direcções por meio do desenvolvimento de uma visão de futuro; depois, engajam as pessoas comunicando-lhes essa visão e inspirando-as a superar os obstáculos. As pessoas necessitam de um maestro-líder para combinar e desenvolver seu potencial energético. É inegável a importância do líder no desenrolar da psicodinâmica motivacional dos seus seguidores. De facto, liderar é ser capaz de administrar o sentido que as pessoas dão àquilo que estão fazendo.

-BERGAMINI-

Certamente precisamos de uma ligeira instrução para perceber a distinção entre o líder e o chefe. Segundo Kantovitz (2013), chefe é o que a maioria de nós tem. É aquele que recebe ordens e dá ordens. O cargo dele foi atribuído com base em normas institucionais ou organizacionais. É a mais pura expressão de ordem social que define diferenças de status e, por conseguinte, de poder e autoridade dentro do grupo. A liderança é algo maior que a “chefia”. O líder é aquele que tenta sempre manter a equipe motivada, trabalha junto com o grupo, que busca sempre aprender, melhorar e passar adiante o seu aprendizado. Ele preocupa-se com as pessoas e com o desenvolvimento delas, sabe dar feedbacks construtivos e, em conjunto, te ajuda a melhorar como profissional e, muitas vezes, pessoalmente também. Para ele, você não é só um número. Às vezes, temos a sorte de ter um chefe-líder, mas isso é muito raro. Normalmente isso acontece fora do mercado tradicional, quando a pessoa está no outro lado do quadrante. Mas por quê? Simples: o seu chefe pode ser um líder, mas se tiver alguém acima dele, e esse alguém não for um líder, o seu chefe terá que obedecer a ordens, e você voltará a ser visto como um número. O verdadeiro líder é aquele que lidera pelo Exemplo. Ele busca seu desenvolvimento pessoal e profissional e as pessoas o colocam naquela posição. Para elas, aquela pessoa é um exemplo a ser seguido e é o que passam a fazer. De forma ampla, amar e trabalhar resumem a vida adulta. Pelo amor reproduzimo-nos, pelo trabalho, produzimos- produzir e reproduzir explicam a nossa existência e a nossa existencia é influenciada pelos traços de liderança da figura que nos propomos inspirar, traços como a energia; honestidade e integridade; auto-confiança; inteligência; elevado auto-monitoramento e conhecimentos relevantes para o trabalho. A extroversão parece ser o aspecto mais importante do líder eficaz conforme advoga, Robbins (2007).

Ora, a perícia organizativa de Nyusi, candidato da Frelimo às eleições Presidenciais de Outubro próximo, pode-se traduzir nos traços de liderança aqui defendidos por Robbins. Parece que Nyusi tem um defeito organizativo nato, ora vejamos: Nyusi, revolucionou os CFM-Norte, onde a dada altura decidiu mudar quase a totalidade da sua direcção, tendo injectado sangue novo que desse uma nova dinâmica a instituição, e o seu nome ficou de uma gestão criteriosa dos CFM. Para além dos carris, a sua paixão organizativa estendeu-se ao futebol, seu maior desejo era colocar o norte forte na modalidade de futebol, sonho que conseguiu concretizar. Talvés a sua altura o tenha facultado para se meter na vida desportiva de toda região norte, o facto é que ganhou a taça e ficou campeão. No sector da Defesa, instituição que passa a gerir desde 2010, vindo do Conselho de Administração dos Caminhos de Ferro de Moçambi­que, assistiu-se um desenvolvimento assinalável, no que respeita a organização das tropas e dos meios que garantem o cumprimento da nobre missão a que os militares são incumbidos, desde a sua incorporação até a sua passagem a reserva e a reforma. Aqui Nyusi, trouxe consigo a sua paixão pelo desporto, o que valeu a subida do Matchedje ao Moçambola, e o seu posicionamento na tabela classificativa final. Quem diria que hoje o exército seria uma instituição de tamanho prestígio, com quadros altamente qualificados, um exército com um nipe de cérebros formados nas mais variadas áreas de conhecimentos! Tudo isso graças aos memorandos rubricados por Filipe Nyusi com várias instituições de ensino superior a nível da região, do continente e do mundo. Quem diria que hoje assistiriamos um desenvolvimento infra-estrutural notório no sector da Defesa, inclusive a criação de novos comandos!  Só para perceber que Nyusi sempre foi um homem de paz, criou amizades, com vários países da região e do mundo (bons amigos raramente se envolvem em conflitos), tudo isso com objectivo de manter boas relações que nos mantivessem estáveis. Certamente que Nyusi tem um grande desafio pela frente, mas sua postura e humildade, são dignos de realce. A Frelimo pode se orgulhar por ter um candidato das bases, que conseguiu unir três gerações, consolidando a coesão interna do partido. Certamente, a sua perícia organizativa, influenciará na sua eleição a Presidente da República nos pleitos que se avizinham.

“Apenas quando aprende a ouvir o coração das pessoas, seus sentimentos mudos, os medos não confessados e as queixas silenciosas, um líder pode inspirar confiança a seu povo, entender o que está errado e atender às reais necessidades do cidadão".

Eurico Nelson Mavie

Sobre os observadores internacionais

Se para desarmar a Renamo, Moçambique tem de correr riscos calculados que ajudem a dissipar dúvidas, que ajudem a consolidar o desiderato principal, a unidade nacional, esse risco será enfrentado.

«ZULUFOBIA»: O PORQUÊ DOS SUL­AFRICANOS ODEIAREM­NOS

 

 «Donde procedem guerras e contendas que há entre vós? De onde senão nos prazeres que militam na vossa carne? Cobiçais e nada tendes; matais e invejais e nada podeis obter…» Tiago 4:1­2 

Tabelas de Preços

Publicidades

Taxas de Câmbio do Dia

 

Países Compra Venda
Estados Unidos 30,43 30,63
Àfrica do Sul 2,91 2,93
Swazilândia 2,91 2,93
Meticais por Unidades de Moeda
Malawi 75.14 75,63
Tanzânia 18,69 18,81
Zâmbia 5,87 5,91
Zimbabwe 80,50 81,03
Japão 297,84 399,79
Meticais por 1000 Unidades de Moeda
Canada 27,83 28,01
Dinamarca 5,62 5,66
Inglaterra 50,93 51,26
Noruega 5,10 5,13
Suécia 4,68 4,71
Suíça 34,43 34,66
União Europeia 41,98 42,26

Fonte: Banco de Moçambique

Classificados

  • Necrologia1.png
  • Necrologia2.png
  • Necrologia3.png
  • Necrologia4.png

Temos 47 visitantes e sem membros em linha

Publicidades