Ultima Hora

Abandonemos o hábito de empurrar instalações para construir obras rentáveis  

Atanásio Zandamela/Fotos de Inácio Pereira&n  O primeiro-ministro,…

Dominguez falha duelo por lesão e fadiga emocional 

Redacção&n  O médio internacional moçambicano Dominguez falhou o dé…

E à terceira não foi de vez para os Mambas  

Redacção A Selecção Nacional de Futebol de Moçambique, que entrou…

Mudanças no futebol só se operam com uma grande injecção financeira  

Joca Estêvão/Fotos de Domingos Elias&n actual director do Gabinet…

Quem pega nestes homens? 

César Langa/Fotos de Arquivo O fim de uma etapa marca o princípio…

O Ferroviário de Quelimane conservou a liderança da Poule de Apuramento ao Moçambola-2014 ao nível da Zona Centro, ao receber e vencer o FC da Beira por 2-0 e passando a somar 22 pontos, mais dois que o Chimoio FC, que no derby da capital provincial de Manica venceu o Textáfrica por 2-1.

Ainda a contar para a mesma jornada, o Sporting da Beira, que a meio da semana antecipou o seu jogo, defrontou na quarta-feira no seu reduto o FC Angónia e goleou-o por 5-0, mantendo assim viva as esperanças de conseguir o apuramento para o próximo Moçambola. Enquanto isso, a formação das Águias de Angónia recebeu e venceu o Palmeiras de Quelimane por 2-1, numa ronda em que no derby de Manica o Chimoio FC venceu o Têxtáfrica por 2-1.

CHIMOIO FC

VENCE TÊXTÁFRICA

Na partida de cartaz da 10ª jornada da Poule de Apuramento a nível da Zona Centro, entre o Chimoio FC e Têxtáfrica, os donos da casa levaram a melhor.

O Têxtáfrica até entrou melhor para o jogo, pautando em ter a posse da bola e circulando-a de pé para pé, o que fazia com que os seus adpetos vibrassem ao antever um desfecho de glória.

A postura evidenciada pela equipa fabril do planalto levava a crer que seria o vencedor do jogo, mas porque não há vencedores antecipados, o tempo foi responsável de trazer a verdade. A pressão alta que exercia a partir de último terço do terreno do adversário deixava o Chimoio FC sem argumentos perante um Têxtáfica que estava na mó de cima. O golo tardava a surgir e para justificar a sua produção dentro de campo mas, diga-se de passagem, a muralha defensiva do Chimoio FC também não permitia muitas veleidades.

A segunda parte foi má para o Têxtáfrica que, incompreensivelmente, abrandou o rítmo e baixou as suas linhas, permitindo o crescimento de Chimoio FC, que já com o jogo controlado e a assumir as despesas inaugurou o marcador aos 50 minutos por intermédio de Obama.

Ferido no orgulho, o Têxtáfrica foi à busca de tento do empate e voltou a mandar no jogo, sendo que para corar a sua postura e o esforço dos seus jogadores conseguiu o golo da igualdade, marcado por intermédio de Pedro.

E quem pensou na reviravola no marcador enganou-se redondantemente porque aos 76 minutos o Chimoio FC colocou-se novamente à frente do marcador, graças ao golo marcado por Félix.

Injusto para os visitantes

Um resultado bastante lisonjeiro para os donos da casa e muito injusto para a equipa de Cuamba que, sobretudo na etapa complementar, apareceu melhor estruturada e com mais homens no ataque, remetendo o seu adversário ao seu reduto mais recuado onde apenas se “safava” o capitão Isaías, por sinal a melhor unidade em campo, que ia cortando tudo quanto era ataque perigoso dos visitantes. Foi nesta etapa que a Associação Desportiva de Cuamba viria a conseguir o golo de empate, na cobrança de um pontapé da marca de grande penalidade, como colário da pressão exercida e do maior caudal ofensivo.

O jogo iniciou com as duas equipas balanceadas ao ataque e tanto uma como outra à procura do golo a todo custo, uma vez que nada havia a ganhar ou perder em virtude de se estar apenas em cumprimento de calendário, uma vez estar já apurado o representante da região ao Moçambola-2014. Com esta forma de jogar acabou-se registando um equilíbrio na partida, mas com ligeiro ascendente para os comandados de Salvador Chambo que mais vezes apareciam a incomodar o último sector dos visitantes. E o golo dos “Universitários” apareceu quando eram jogados 30 minutos, com largas culpas para o guarda-redes Massa. A bola foi bombeada para o interior da sua grande área e na tentativa de se fazer ao esférico, teve um ligeiro atraso e permitiu que esta embatesse no relvado à sua frente, passando por cima, aonde apareceu Valeriano a atirar para a baliza completamente deserta para o delírio dos espectadores que em número considerável estiveram no Municipal 1º de Maio a assistir o jogo e a puxar pela sua equipa.

Como golo, a equipa visitante ainda tentou reagir, mas os seus ataques acabavam encontrando a pronta resposta da defensiva de Lichinga bem comandada pelo capitão Isaías até que o árbitro da partida mandou todos para o descanso.

No reatamento a Associação Desportiva de Cuamba reapareceu melhor estruturada e mais acutilante, como resultado da colocação de mais um homem ao ataque, passando do 4x4x2 para um 4x3x3. Como esta forma de estar em campo a equipa de Cuamba obrigou o seu adversário a remeter-se ao seu reduto mais recuado, defendendo-se como podia, destacando-se o capitão Isaías que, à sua maneira, ia evitando o golo de empate dos visitantes.

E ao apagar das luzes, quando estavam jogados dois dos cinco minutos de compensação, os visitantes acabaram empatando o jogo na cobrança de um pontapé da marca de grande penalidade superiormente cobrada por Donsa, a castigar a mão do defesa Daniel à bola.

Texto de Abrao Viegas

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Foto de Abrao Viegas

 
Feliz_Natal
Pub

Siga-nos no facebook

Pub

Quem está ligado ao Jornal Desafio?

Temos 101 visitantes ligados ao Jornal Desafio.