Yaoundé é o palco da superação

Uma presença nas meias-finais será já um grande resultado do “cinco” nacional que chega aos Camarões depois de uma má prestação nos XI Jogos Africanos do Congo-Brazaville.

Em sete jogos ai disputados, Moçambique perdeu cinco e ganhou apenas dois.

Nos jogos em que a equipa de Nazir Salé perdeu, enfrentou parte das equipas que habitualmente jogam para o título.

Ganhou apenas ao Congo-Brazaville e a Costa do Marfim, adversários com pouca e limitada expressão em África, respectivamente.

Mas há mais por se dizer sobre esta presença da Selecção Nacional nos Camarões.

A equipa chega ao palco qualificativo aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro-2016 desfigurada, quando comparada com aquela que há dois anos foi vice-campeã africana e em 2014 disputou o Campeonato do Mundo da Turquia.

É que, por exemplo, das 12 jogadoras que em Setembro do ano passado tomaram parte do Campeonato do Mundo, aos Camarões chegam apenas cinco.

Isso equivale a dizer que sete mundialistas não conseguiram transitar para o Afrobasket de 2015.

Por isso, estas são razões que bastam para prever-se uma participação difícil do “cinco” nacional em Yaoundé, onde a superação de si mesma para manter a honra de Moçambique num palco onde é respeitada deverá ser o primeiro objectivo nesta empreitada.