Tudo tão fácil e Esperança renovada

Por: AtanÁsio Zandamela
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Fotos de Luís Muianga

No dia em que o Ferroviário de Maputo teve a sua melhor entrada dos últimos tempos, ficou renovada a esperança de continuar a discutir o título que foge há dois anos. E tudo esteve resolvido na primeira parte, ou melhor, nos primeiros dez minutos, aproveitando-se do facto de o Ferroviário de Nampula ter “demorado” entrar no jogo. Aliás, só na segunda metade é que se viu alguma coisa da equipa de Nampula, que acabou perdendo por 2-0.

As duas derrotas consentidas nos últimos dois encontros colocavam alguma pressão à equipa de Nélson Santos, que deixou de depender de si para voltar a conquistar o Moçambola. Ciente disso, logo cedo procurou mostrar que queria aproveitar o factor casa e fazer a sua parte na história e teve uma primeira parte irrepreensível e foi dominador, uma tranquilidade espectacular um tanto ou quanto facilitada por uma entrada apática do adversário.

O corredor esquerdo foi bem explorado pelos locais, que aos cinco minutos chegaram ao golo por Liberty, que depois de receber o esférico de Mário não teve dificuldades para bater Xavito. Todavia, o golo não despertou o Ferroviário de Nampula, que continuou em sono profundo e até poderia ter sofrido o segundo se o remate de Mário não tivesse encontrado Xavito atento. Mas logo a seguir já não conseguiu parar o remate de Diogo aos 10 minutos, que tal como os dois seus colegas surgiu solto à esquerda devido à má marcação dos nampulenses.

Leia mais...