Coach Fifi: a dama que comanda homens

Numa altura em que algumas sociedades ainda teimam em se apegar a preceitos machistas, colocando a mulher em segundo plano,  existem algumas que desafiam os preconceitos e se opõem a ideias retrógradas. Felizarda Lemos, ou simplesmente “Tia Fifi”  ou "Mana Fifi2, como queiram,  é uma dentre  várias mulheres que se tÊm destacado fazendo face a um mal que já é uma herança cultural.

Não se considera mulher emancipada, porque acha que é daí que nasce a força para o preconceito ganhar as suas próprias raízes. Mesmo reconhecendo as naturais diferenças e os condicionalismos que existem entre o homem e a mulher, Fifi é de opinião que a mulher não deve ser impedida de exercer qualquer actividade que somente é considerada exclusiva para os homens. Aliás, a Constituição da República refere no seu Artigo 44 (Deveres para com os seus semelhantes) que “Todo o cidadão tem o dever de respeitar e considerar os seus semelhantes, sem discriminação de qualquer espécie e de manter com eles relações que permitam promover, salvaguardar e reforçar o respeito, a tolerância recíproca e a solidariedade”.

Embora não tenha conseguido qualificar a equipa para o Campeonato de Divisão de Honra, Filizarda Lemos acabou por ser a protagonista de um feito inédito na história do futebol nacional, ao qualificar a sua equipa para duas finais.

A formação do Zixaxa perdeu na primeira final, desta feita na Taça 25 de Setembro, diante da equipa estudantil da Académica por uma bola sem resposta, e o mesmo resultado registou-se na Taça Maputo, diante do Nacional.

– Sinto-me honrada e orgulhosa por ter alcançado este feito logo no meu primeiro ano como sénior. É obra. Sinceramente que não esperava que pudesse conseguir alcançar tal feito. Tivemos um campeonato disputadíssimo e que nos impôs enormes desafios para nos adaptar a uma realidade da qual não estávamos habituados. Considero positivo o trabalho que os meus jogadores desempenharam ao longo do campeonato, tendo em conta que metade destes têm idade júnior. Se não conquistámos o campeonato foi porque ainda éramos imaturos,argumenta a coach Fifi.

Raimundo Zandamela/Arquivo