Verniz estalou e Conde caiu para João Figueiredo regressar

Depois de um Maxaquene-Ferroviário de Maputo intenso, que terminou numa igualdade sem golos, o canal RM Desporto, da Rádio Moçambique, deu voz a Imtiaz Amuji, aquele entusiasta que todos conhecem, bastante emotivo e que a última assembleia-geral do Clube de Desportos da Maxaquene decidiu não incluir no pelouro do futebol “tricolor”.

Imtiaz não teve meios a medir na intervenção que fez, criticando a equipa de Chiquinho Conde e assegurando ao público que os salários estavam em dia e que, por isso, a prestação dos jogadores devia ser melhor que aquela que apresentavam.

O técnico não gostou de ouvir as críticas e, reagindo à intervenção de Amuji, acabou expondo o clube, deixando ficar publicamente os graves problemas vividos, incluindo o atraso de salários, e o técnico terá dito que pagou alguns valores aos atletas para garantir que a equipa se mantivesse em pleno na competição.

Depois dessa resposta de Chiquinho Conde, a direcção do Maxaquene e Chiquinho Conde sentaram-se à mesa no início da tarde de segunda-feira e chegaram à conclusão de que o melhor para ambas as partes era que cada um seguisse o seu caminho. Entendem os directores do Maxaquene que Chiquinho, considerado vilão neste processo, teria ferido o bom nome da colectividade e dos principais patrocinadores.

Joca Estêvão/Luís Muianga