Que jogo tão sofrido, Bheu!!!

A abordagem inicial, aliada à disposição psicológica espelhada pelo grupo de trabalho ao longo da semana de preparação, não levava a pensar e muito menos a crer que Moçambique fosse derramar a última gota do seu suor para levar de vencida a sua congénere das Ilhas Maurícias e, por via disso, conseguir o segundo lugar na tabela classificativa final do Grupo H, na caminhada ao CAN, a realizar-se próximo ano no Gabão.

Assumindo que a derrota sofrida na partida da primeira volta, nas Maurícias, tivesse sido um infortúnio, que acabou deitando por terra qualquer possibilidade de mais uma presença na grande festa do futebol africano, o que sobrava era a “ressurreição” da auto-estima, barbaramente “assassinada” logo no arranque da corrida, com a derrota caseira diante do acessível Ruanda.

César Langa/Foto de Luís Muianga