E o futebol é a vida de Matine

É essa conexão que justifica mesmo a decoração – bolas nas mesas e uma baliza bem visível num dos pontos – da sala onde Matine foi homenageado “ainda em vida”, como se fez questão de sublinhar. A iniciativa, que marca o primeiro ano do mandato de Alberto Simango Jr. a frente da Federação Moçambicana de Futebol, deverá ser multiplicada durante o mandato.

MUITA EMOÇÃO E REVELAÇÕES

E foi a entrega da camisola dos Mambas ao homenageado por Alberto Nkutumula, Ministro da Juventude e Desporto, e do diploma de honra, assim como do porta retrato com sua fotografia enquanto jogador e ainda a lembrança da Liga Nacional de Futebol Feminino os momentos mais altos duma cerimónia testemunhada por muita gente, sobretudo da bola. Aliás, mais do que a singela homenagem o momento serviu igualmente para que Matine revisse figuras com as quais partilhou vários “pelados” desde o tempo em que com bola de tripas de animais ou de trapo deu primeiros passos no bairro de Minkadjuine de onde partiu para o clube Central até chegar ao SL Benfica onde atingiu o topo e conquistou campeonatos.

Esses momentos estavam bem visíveis nas quatro telas onde eram projectadas algumas fotografias que melhor contam a carreira iniciada como muitos da sua geração com grandes dificuldades num dos subúrbios berços de muito talento.

Nascido em Lourenço Marques (Maputo) a 13 de Fevereiro de 1947 Matine fez grande parte da sua carreira em Portugal entre 1969 e 1981 jogando a médio nas equipas do o bairro Benfica, Vitória do Setúbal, Portimonense, Desportivo das Aves e Estrela da Amadora e foi neste clube onde começou a carreira de treinador, tendo sido inclusive treinador do actual seleccionador nacional, Abel Xavier que lembrou que “tive o privilegio de quando tinha 15 anos ter encontrado Matine no Estrela da Amadora, sublinhando depois que “não tenho dúvidas do mérito deste reconhecimento enquanto vivo”.

Após regresso ao país Matine treinou para além das camadas de formação de Moçambique o Ferroviário e Desportivo de Maputo.

Atanásio Zandamela/Luís Muianga