Da despromoção do Maxaquene a um frenético público para aclamar os locomotivas

Campeões Africanos

de ‘85 despromovidos!

O Clube de Desportos da Maxaquene foi a grande surpresa da 38.ª edição do Campeonato Nacional de Basquetebol em seniores masculinos. Engane-se quem pensar que foi pelos bons motivos. A equipa com mais títulos nacionais (19), incluindo um inédito 1.º lugar na Liga dos Campeões Africanos (1985), quedou-se em sexto lugar, acompanhando CAME e Vaz Team da Beira aos “quarteirões”. A prova  é feita por oito equipas, sendo que as cinco primeiras garantem a manutenção e as restantes são despromovidas do evento.

- Os jogadores não treinaram durante três meses, sentiram-se obrigados a decretar uma greve e vocês sabem quais foram as razões. Portanto, quando se está três meses sem competir, é normal que o ritmo não seja o mesmo com o que as outras equipas tenham, com muito mais condições do que nós. Temos as nossas limitações. Poderíamos trabalhar um pouco mais, mas fizemos o suficiente para estarmos aqui e representar o clube, lamentou o técnico Ricardo Ferreira, no último jogo da fase regular, que por consequência, seria o último da competição, na derrota diante dos actuais campeões (69-60).

Deanof Potompuanha/Luís Muianga