Mário apontado para o ataque

Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

O jovem avançado do Ferroviário da Beira, Mário Sinamunda, vai ser aposta no ataque dos “Mambas” na partida do próximo sábado, em que os “Mambas” defrontam a sua congénere das Seychelles, em partida da segunda mão da pré-eliminatória do CAN-Interno. Recorde-se que na primeira mão Moçambique goleou a selecção das Seychelles por quatro bolas sem resposta.

Mário apontado para o ataque

O avançado que ajudou os “locomotivas” beirenses na sua melhor classificação de sempre num Moçambola esteve ausente do jogo do Estádio Nacional por não ter passaporte, situação que já foi regularizada, podendo ser utilizado nas Seychelles. 

O alemão Gert Engels, que tem apostado em jogadores jovens e promissores, acredita nas potencialidades de Mário, uma das grandes revelações do campeonato recentemente findo, para manter a vantagem conseguida no Zimpeto, em que Diogo Alberto fez dois golos, sendo um de Saddam Guambe (Kito) e outro de Alanio Mafumo (Lanito), uma estreia absoluta.

A inclusão de Mário poderá obrigar o seleccionador a fazer algumas mexidas no ataque, em relação à partida de Maputo, em que Reginaldo e Hélder Pelembe foram os escolhidos, mas sem conseguir fazer golos. Não sendo por terem marcado, Gert poderá encontrar outra maneira de formar o ataque com Mário, podendo até apostar em Lanito, que deu muito boa conta de si no período em que jogou.

Nos restantes sectores não se vislumbram grandes mexidas, sendo que Pinto ou Acácio irá para a baliza. No sector defensivo, Zainadine, que saiu lesionado, pode voltar a ser titular no lado direito da defesa, subsistindo dúvidas sobre o lado esquerdo, onde há Reinildo, tendo em conta o desempenho dos jogadores na primeira mão e a natureza de jogo das Seychelles.

A delegação moçambicana partiu ontem com destino às Seychelles, usando a rota Maputo/Joanesburgo/Sheychelles, estando o regresso previsto para o próximo domingo, depois do jogo que se realiza na tarde do próximo sábado, em que ao que tudo indica deverá carimbar o passaporte dos “Mambas” para a eliminatória seguinte, em que vão discutir o acesso à fase seguinte com a Namíbia.

 

SEYCHELLES NUNCA PARTICIPOU NUM CAN

 No jogo do Zimpeto, a formação das Seychelles revelou um grande défice de entrosamento em todos os sectores, e mesmo tendo um e outro jogador habilidosos não foi capaz de manietar o combinado nacional, que se deu ao luxo de jogar a seu bel-prazer, tendo em conta que o seu oponente não conseguia esboçar jogadas de ataque com cabeça, tronco e membros, que pudessem resultar em golos.

Sendo assim, Moçambique só deverá jogar precavido contra as Seychelles porque o futebol é uma caixinha de surpresas, mas nada faz prever uma reviravolta na eliminatória, até porque o adversário dos “Mambas” do próximo sábado é dos menos cotados do continente africano. Seychelles nunca se qualificou para uma fase final de um CAN.

Sabe-se igualmente que a sua primeira partida oficial foi em Fevereiro de 1974, contra a selecção de Ilhas Reunião, que venceu por 2 a 0. A maior vitória das Seychelles aconteceu em 1979, contra as Ilhas Maldivas, por 9 a 0, e a maior goleada sofrida até em então foi diante de Madagáscar, por 6 a 0.

Um dado não menos importante se refere ao facto de, ainda este ano, antes do jogo da primeira mão contra Moçambique, as Seychelles sofreram sete golos, sempre diante da República do Congo. Na primeira partida, a 29 de Fevereiro, perderam por 4-0 e a 17 de Junho por 3-0. Na totalidade, as Seychelles sofreram 11 golos em 2012 e, caso os “Mambas” marquem no sábado, poderão acrescer ainda mais o seu registo de golos sofridos este ano, contra nenhum marcado.

Moçambique levou 25 elementos

A delegação moçambicana para Seychelles é composta por 25 elementos, sendo 18 jogadores e mais outros sete integrantes, designadamente o chefe da delegação, um médico, Valério Madeira, coordenador, Gert Engels, seleccionador nacional, João Chissano, Hélder Muianga (Mano-Mano), Victor Magaia, adjuntos.

Os 18 jogadores chamados por Gert Engels para o jogo da segunda mão são os seguintes:

Guarda-redes: Pinto e Acácio

Defesas: Zainadine, Dito, Reinildo, Gabito, Chico e Sidique

Médios: Momed Haji, Manuelito II, Kito, Diogo e Imo

Avançados: Hélder Pelembe, Reginaldo, Mário, Lanito, Manucho

 

Texto de Joca Estêvão

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Fotos de Domingos Elias

Publicidade
Subscreve se no Jornal Digital

Moçambola 2019

Pos Equipe J V E D GC GM Pts DP
1. C. do Sol 30 20 6 4 25 56 64 +31
2. UD Songo 30 19 3 8 29 47 59 +18
3. Fer. Maputo 30 13 9 8 22 34 43 +12
4. Fer. Beira 30 12 9 9 25 34 43 +9
5. Fer. Nacala 30 12 5 13 31 28 40 -3
6. ENH 30 10 11 9 30 29 37 -1
7. LD Maputo 30 11 7 12 36 30 37 -6
8. Textafrica 30 11 7 12 30 22 37 -8
9. Des. Maputo 30 10 10 10 29 35 36 +6
10. Incomáti 30 10 10 10 31 29 36 -2
LD Maputo 5 : 4 Des. Maputo
Têx. Púnguè 1 : 1 Nacala
B. de Pemba 1 : 2 ENH
Chibuto 1 : 0 UD Songo
Fer. Nacala 1 : 0 Fer. Beira
Fer. Nampula 2 : 1 C. do Sol
Maxaquene 1 : 0 Fer. Maputo
Textafrica 1 : 1 Incomáti

Director: Almiro Santos
Chefes da Redacção:
Reginaldo Cumbana e Gil Carvalho

Desafio é um Jornal desportivo, produto da Sociedade do Notícias.

O Jornal esta disponível em formato físico impresso, o mesmo pode ser lido em formato electrónico.

Play Store

AppStore

SNLogo2

Propriedade da Sociedade do
Notícias, SARL
Direcção, Redacção e Oficinas
Rua Joe Slovo, 55 • Cx.Postal 327
E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
( Tel's: 21320119 / 21320120 )
Topo
Baixo