Estou a realizar um sonho

Veio para este Mundial com a esperança de que iria assumir o protagonismo deixado pela retirada de Clarisse Machanguana da Selecção Nacional.

Na hora de fazer o primeiro balanço da presença de Moçambique no Mundial da Turquia, a verdade manda dizer que Leia Dongue não tem defraudado.

Diante da França, Leia Dongue foi mesmo eleita pela FIBA como a MVP do jogo, ao apontar 18 dos 45 pontos de Moçambique e arrancado 11 dos 31 ressaltos da Selecção Nacional.

SONHAVA EM JOGAR NO CAMPEONATO DO MUNDO

- Que apreciação faz ao jogo diante da França em que, no cômputo geral, a equipa não esteve tão bem quanto frente ao Canadá?

- De uma maneira geral, diria que a equipa deu o melhor de si para dignificar a bandeira nacional. Sabemos que este tipo de competição é extremamente diferente daquelas a que a gente está habituada e, frente à França, a altura foi um factor que fez toda a diferença.

- Considera que as excelentes exibições que fez nestes dois primeiros jogos lhe abrem portas para sair do basquetebol africano e experimentar outros campeonatos?

- Sempre foi um desejo meu jogar ao mais alto nível. Desde criança foi sempre um sonho jogar ao mais alto nível. Via pela televisão grandes jogadoras que admirava e assistia também a competições como o Campeonato do Mundo. Via nessas competições as jogadoras nas quais me inspirava. Esperava que em algum momento pudesse vir a jogar com elas. Para mim, é um sonho realizado estar no Campeonato do Mundo. Quanto à questão que me coloca, estou neste momento em Angola, mas fico à espera de alguma possibilidade caso as portas se abram.

- Como é que pessoalmente viu o jogo contra a França, em que sozinha marcou 18 dos 45 pontos e ganhou 11 dos 31 ressaltos da Selecção Nacional?

- Nesse aspecto, só tenho de agradecer a todas as minhas colegas que me ajudaram a ter esses números na estatística pessoal. Mas, como disse antes, o factor altura tem sido crucial mau para a gente.

- O que lhe parece que possa vir a ser o jogo contra a Turquia, na próxima terça-feira?

- Na segunda-feira (hoje) temos um dia de descanso e vamos tentar recuperar o máximo de energias. Depois, na terça-feira, vamos tentar tudo de nós.

- Concorda que depois destas duas derrotas diante do Canadá e França as possibilidades de qualificação para o “play-off” se tornaram difíceis, mesmo que na terça-feira ganhemos à Turquia?

- Sabemos que as nossas possibilidades de qualificação são bastante reduzidas. Mas o que nos resta agora é tentarmos dignificar Moçambique da melhor maneira possível. Esse é o objectivo que nos resta atingir.